Categorias
Notícias

Combate ao desemprego e vacina devem ser prioridades, aponta pesquisa

Um levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, mostra que o combate ao desemprego (44%) e a vacina para o coronavírus (42%) foram apontados pelos consumidores brasileiros como prioridades do governo para que o desenvolvimento econômico do país seja retomado este ano. O ranking de temas que merecem a atenção em 2021 é seguido por saúde pública (38%) e educação (34%).

Na opinião dos entrevistados, a maior expectativa de melhorias para o Brasil é em relação ao aumento das oportunidades de emprego (36%) e aumento da concessão de crédito (35%). Por outro lado, é esperado um aumento da inflação (41%, com aumento de 20 p.p. em relação a 2019), aumento da inadimplência (41%, aumento de 18,5 p.p. em relação a 2019) e aumento da pobreza e da desigualdade social (36%).

Com relação ao momento atual, três em cada dez (29%) acreditam que a economia está retomando o crescimento, seja de forma lenta (24%) ou acelerada (5%). Já para metade dos entrevistados (50%), a economia ainda não retomou o crescimento, sendo que 26% acreditam que isso irá acontecer em breve, e 24% que ainda vai demorar para acontecer. Por fim, 16% acreditam que a economia esteja piorando.

O presidente da CNDL, José César da Costa, destaca a importância da vacinação em massa da população para o processo de retomada econômica e de geração de empregos no país.

“O desemprego elevado é sem sombra de dúvidas um dos grandes desafios a serem enfrentados pelo país agora em 2021, o que se agrava diante de um cenário de pandemia, economia pouco aquecida e situação fiscal preocupante”, diz José César. “Mais do que solução definitiva no combate à doença, a vacinação vai representar a retomada das atividades econômicas. Somente com a população imunizada será possível reaver as atividades do dia a dia da população, a dinamização do consumo e a geração de empregos no país”, afirma Costa.

Maioria vê medidas do governo com pessimismo

A pandemia da Covid-19 trouxe um cenário de insegurança e incertezas para a população. De acordo com o levantamento, 39% dos entrevistados afirmam estar pessimistas ou muito pessimistas quanto à adoção de medidas pelo governo que incentivem o desenvolvimento do país, 28% não estão otimistas nem pessimistas, e 27% estão otimistas ou muito otimistas.

Quanto ao desempenho do governo federal, a maioria dos entrevistados (29%) considera como ‘Boa’ a atuação com relação às medidas de auxílio à população frente à pandemia. Já as ações junto a educação (31%), saúde (29%), combate à pandemia (29%) e medidas de auxílio às empresas devido ao coronavírus (36%) foi considerada ‘Regular’ pela maioria. Com relação aos impostos (34%) e taxa de juros (33%), a maioria dos entrevistados consideram que a atuação do governo foi ‘Péssima’.

Fonte: CNDL

Categorias
Notícias

FCDL-GO recebe visita institucional da Federação de Santa Catarina

A FCDL-GO recebeu nesta quarta-feira (03) na sede da entidade, em Goiânia, a visita do presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina, Ivan Roberto Tauffer. Ele foi recepcionado pelo presidente da FCDL-GO, Valdir Ribeiro.

O encontro serviu para estreitamento da relação institucional com a federação catarinense.

“Foi uma tarde muito produtiva que passamos com o presidente Tauffer trocando experiências e projetando ações para o comércio na retomada da economia. Ele é uma liderança expoente no comércio na Região Sul e, claro, é muito bem-vindo aqui”, disse o presidente Valdir Ribeiro sobre seu contraparte.

Ivan Tauffer, presidente da FCDL-SC – Foto: Divulgação/FCDL-SC

Com mandato vigorando até 2022, Ivan Tauffer preside a FCDL-SC desde 2018.

Fonte: Assessoria de Comunicação/FCDL-GO

Categorias
Notícias

Comércio se destaca entre maiores crescimentos no 3º trimestre

A indústria e o comércio estão entre os principais destaques do crescimento da economia brasileira de 7,7% no terceiro trimestre de 2020 ante os três meses anteriores, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta quinta-feira (3).

A agropecuária caiu 0,5%, a indústria cresceu 14,8% e os serviços subiram 6,3% no período.

Segundo o IBGE, entre as atividades industriais, destaca-se o crescimento de 23,7% das indústrias de transformação.

Também houve aumento para os segmentos de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (8,5%), construção (5,6%) e indústrias extrativas (2,5%).

Nos serviços, com a redução das restrições à circulação de pessoas que haviam sido adotadas para conter a disseminação do novo coronavírus, todos os segmentos cresceram, com destaque para comércio (15,9%), transporte, armazenagem e correio (12,5%) e outras atividades de serviços (7,8%).

Em comparação com o terceiro trimestre de 2019, a agropecuária cresceu 0,4%. Já a indústria teve queda de 0,9%, sendo que a construção recuou 7,9%. Os serviços caíram 4,8%.

Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, afirma que tanto o comércio como a indústria voltaram ao patamar pré-crise. Os serviços, setor que mais pesa no PIB, ainda estão no patamar do começo de 2017.

O desempenho da indústria reforça a mudança de perfil do consumidor após a pandemia: na comparação com o mesmo período do ano anterior, o setor ainda tem queda de 0,2%, mas segmentos como indústria moveleira e equipamentos de informática e eletrônicos produziram mais do que no terceiro trimestre de 2019.

São segmentos que se beneficiaram com o isolamento: com o trabalho remoto e mais tempo em casa, o brasileiro decidiu investir em produtos para o lar. Já a indústria de vestuários é um dos destaques negativos em relação ao mesmo período do ano anterior.

A agropecuária continua crescendo nas taxas interanuais –foi o único setor que teve resultado positivo no acumulado do ano. Houve queda em relação ao trimestre anterior, mas o dado era esperado em razão de fatores sazonais que afetam o agro, como as temporadas de safra.

Fonte: Folha de S.Paulo

Categorias
Sem categoria

FCDL-GO lança campanha na TV para reforçar medidas de combate à Covid

Evitar aglomerações, usar corretamente a máscara e respeitar o distanciamento social são algumas das medidas básicas para a retomada responsável do comércio e das outras atividades econômicas. Mas o que se vê nas ruas são flagrantes diários de desrespeito aos protocolos de segurança. Nesse contexto, a FCDL-GO (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Goiás) lança na terça-feira (13) uma campanha educativa na TV aberta para alertar e conscientizar comerciantes e a população em geral sobre a importância de respeitar tais medidas.

O vídeo será veiculado na TV Anhanguera, afiliada da Rede Globo, nos dias 13, 14, 15 e 16 de outubro, sempre no horário entre 6h e 8h30, nos intervalos do jornal Bom Dia Goiás. Mas é possível já conferir o vídeo da campanha antecipadamente aqui e no perfil da FCDL-GO no Instagram. É @fcdlgo.

Presidente da FCDL-GO, Valdir Ribeiro reforça a importância dos protocolos de segurança para uma retomada sustentável. “De nada adianta encontrarmos, junto ao Governo de Goiás, alternativas seguras que favoreçam a retomada do comércio, se todos, população e empresários do setor, não fizerem a sua parte”, diz o gestor. Ele ressalta que “é de extrema importância que se respeite os protocolos de segurança, evitando que uma nova onda de contaminação da Covid-19 paralise de novo a economia do estado”.

A campanha foi criada pela agência Propeg. No filme, se vê o funcionamento de diversos segmentos do comércio, como academias, lojas, bares e salões de beleza, sendo usados por pessoas sem as medidas de proteção. Só que, estranhamente, todas as pessoas são iguais.

Segundo Emerson Braga, CCO da Propeg, “o cidadão comum muitas vezes não se dá conta de que as medidas de proteção visam não apenas proteger a sua vida, mas as de muitos que estão perto dele ou na sua própria casa. Quisemos mostrar que, como você não é o único a querer que a vida volte ao normal, é preciso pensar e agir coletivamente, respeitar os direitos e deveres de todos, e não levar em consideração apenas os seus próprios quereres e necessidades”, encerra o executivo.

Fonte: Assessoria de Comunicação/FCDL-GO (com informações da agência Propeg)

Categorias
Sem categoria

Em reunião com Caiado, FCDL-GO e FEE afinam ações de retomada da economia

A FCDL-GO participou nesta segunda-feira (14) de reunião de trabalho com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado. A pedido do governo, a Federação e as outras instituições do FEE (Fórum das Entidades Empresariais) estiveram no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, para discutir com Caiado alternativas no campo empresarial que favoreçam a retomada da economia após a pandemia da Covid-19.

Presidente da FCDL-GO, Valdir Ribeiro argumentou com o governador que o fim da cobrança do diferencial de alíquota do ICMS, o Difal, pode ser um dos principais motores para impulsionar a economia goiana após a longa quarentena para conter o novo coronavírus, causador da Covid-19.

“Os empresários, que foram fortemente prejudicados na pandemia, agora precisam de apoio do setor público para se reerguer. E duas alternativas essenciais para alavancar as atividades do segmento empresarial agora são a ampliação da oferta de linhas de crédito e a desoneração, nesse caso, com o fim do Difal. Assim, teremos um aumento na competitividade e mais justiça fiscal, beneficiando e reativando toda a cadeia do setor produtivo”, ressaltou Valdir.

Além do Difal, também foram pauta da reunião com o governador a reabertura de setores ainda paralisados em função da pandemia, como de eventos corporativos e feiras de negócios, e o aprimoramento da distribuição dos recursos do Fundo Protege Goiás. O titular da Secretaria da Retomada, César Moura, participou do encontro ao lado de Ronaldo Caiado.

O FEE esteve representado na reunião pela FCDL-GO, Fecomércio-GO, Acieg, Adial e OCB-GO.

A FCDL-GO e as entidades do FEE estiveram hoje no Palácio das Esmeraldas para participar também do lançamento dos programas Mais Empregos e Mais Crédito, ambos vinculados à Secretaria da Retomada. “O governo está totalmente aberto para trabalharmos de forma conjunta. A minha preocupação agora é com mais empregos e mais créditos. A nossa visão de governo é trabalhar para dar resultado à população”, externou Ronaldo Caiado.

Fonte: Assessoria de Comunicação/FCDL-GO (com informações do Governo de Goiás)

Categorias
Sem categoria

Inflação oficial fica em 0,24% em agosto, diz IBGE

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,24% em agosto deste ano. O resultado ficou abaixo do 0,36% de julho deste ano, mas é a maior taxa para um mês de agosto desde 2016, quando ficou em 0,44%.

Segundo dados divulgados hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA acumula taxas de inflação de 0,70% no ano e de 2,44% em 12 meses.

Em agosto, a inflação foi influenciada principalmente pelo aumento do custo dos transportes (0,82%) e dos alimentos (0,78%).

Entre os itens de transporte com alta de preços no mês, destacam-se a gasolina (3,22%), o óleo diesel (2,49%), o etanol (1,29%) e os serviços de transportes por aplicativo (0,37%).

Já entre os alimentos, os destaques ficaram com o tomate (12,98%), o leite longa vida (4,84%), as frutas (3,37%), as carnes (3,33%), o óleo de soja (9,48%) e o arroz (3,08%). Por outro lado, houve quedas de preços em itens como cebola (-17,18%), alho (-14,16%), batata-inglesa (-12,40%) e feijão-carioca (-5,85%), além da refeição fora de casa (-0,11%).

Além dos transportes e alimentos, tiveram inflação os gastos com habitação (0,36%), puxados pelo aluguel residencial (0,32%) e pela energia elétrica (0,27%); com artigos de residência (0,56%), saúde e cuidados pessoais (0,50%) e comunicação (0,67%).

Por outro lado, apresentaram deflação (queda de preços) os gastos com vestuário (-0,78%), despesas pessoais (-0,01%) e educação (-3,47%).

Fonte: Agência Brasil

Categorias
Notícias

Portaria amplia setores que podem trabalhar aos domingos e feriados

O governo federal aumentou de 78 para 91 a lista de atividades com autorização permanente para trabalho de seus funcionários aos domingos e feriados. A medida foi publicada na Portaria 19.809/20 no Diário Oficial da União do dia 28 de agosto de 2020 e assinada pelo secretário Especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco Leal.

Segundo o governo, a norma teve como objetivo liberar atividade aos domingos para setores considerados essenciais.

O texto exime as empresas desses setores de obter autorização especial para funcionar ou negociar com sindicatos o trabalho no dia que tradicionalmente é reservado ao descanso semanal remunerado.

No comércio, a portaria passa a contemplar varejistas de peixes, carnes frescas e caça; de frutas e verduras; aves e ovos; produtos farmacêuticos; feiras-livres e mercados; agências de turismo; locadoras de veículos e embarcações; hotel e similares; barbearias; casas de diversões; comércio de artigos regionais nas estâncias hidrominerais; comércio em portos, aeroportos, estradas, estações rodoviárias e ferroviárias; comércio em hotéis; comércio em postos de combustíveis; atacadistas e distribuidores de produtos industrializados; lavanderias e lavanderias hospitalares, entre outros estabelecimentos.

Para o presidente da CNDL, José César da Costa, a Portaria atende aos pedidos do setor de comércio e serviços, que busca alternativas que possam contribuir para a retomada das atividades e para a geração de empregos.

“O setor de comércio e serviços foi um dos mais afetados pela crise causada pela Covid-19 e, nesse momento de retomada e reabertura das atividades, a Portaria possibilitará aos setores que busquem compensar as perdas acumuladas. O texto atende ao compromisso assumido pelo governo de modernizar a economia, melhorar o ambiente de negócios e atrair investimentos, condições primordiais para o crescimento econômico e consequentemente para a criação de empregos em todo o país”, afirma Costa.

A medida também afeta o setor dos transportes; da indústria; da comunicação e publicidade; educação e cultura; serviços funerários; e agricultura e pecuária. A portaria passou a valer na data de sua publicação.

Clique aqui para ler a Portaria completa.

Fonte: Sistema CNDL